O Fim Dos Memes Chegou!

E pronto. O infame artigo 13 (que na verdade é agora o artigo 17°) foi aprovado no parlamento europeu. É verdade, é o fim dos memes, dos GIFs e do YouTube. Mais vale começarmos a arrumar as nossas coisas e partirmos para as terras da liberdade, onde as garras da Europa não nos podem impedir de fazer memes do Frozen.

Ou… Será que não?

Parece que a numeração dos artigos não foi a única revisão feita ao texto legislativo. Aparentemente a partilha de conteúdo para efeitos de “citação, crítica, análise, caricatura, paródia ou pastiche” deve ser feita de forma livre e não deve estar sujeita às filtragens impostas pelo ‘artigo 13’.

Os memes estão salvos! Bem… Talvez. E mesmo que estejam, outros problemas ainda estão bem presentes nesta nova regulamentação europeia.

Apesar da diretiva ditar que determinado tipo de conteúdo deve poder ser partilhado livremente, as plataformas podem optar por acabar com eles por completo por não conseguirem dar-se ao luxo de pagar por um filtro de uploads. As grandes empresas, que passarão a integrar este tipo de filtro, provavelmente acabarão a filtrar por arrasto conteúdo legítimo e até mesmo original, para não colocar em perigo a empresa, que passa agora a ser a responsável por todo o conteúdo que existe na sua plataforma.

Isto trocado por miúdos é muito simples. O PewDiePie antigamente fazia porcaria no YouTube, pagava por ela. Agora é o YouTube que se tem de responsabilizar, e o YouTube é um coninhas que não quer problemas, por isso vai passar a ter filtros de censura em tempo real, que bloqueia tudo o que sequer se pareça com algo ofensivo ou que possa de alguma maneira violar os direitos de autor.

A medida foi aprovada no Parlamento Europeu e tudo indica que será aprovada pelo Concelho da União Europeia, ao que, a partir desse momento, os estados membros terão um prazo de dois anos para redigir as suas leis em concordância com estas diretivas. Portanto, ainda faltam uns bons anos para que os afeitos da diretiva europeia se comecem a sentir, mas mais tarde ou mais cedo, hão de cá chegar.

É por este tipo de coisa que é importante sabermos no que estamos a votar quando elegemos os nossos representantes, seja no parlamento seja na Europa. Se queremos os nossos interesses defendidos, devemos preocupar-nos em procurar quem os defende.

Os eurodeputados portugueses votaram na sua grande maioria a favor desta diretiva, com a exceção dos deputados do PCP e BE, bem como dois deputados do PS, que tentaram impedir, sem sucesso, que a censura automática fosse aplicada nas grandes plataformas de distribuição de conteúdos.

Agora só o tempo dirá as repercussões que tudo isto terá no ecossistema da internet, mas não tardará muito até sentirmos os seus efeitos. É como o chilli Mexicano, quando entra nunca sabemos quando nem como vai sair, mas sabemos que vem aí merda.

Com as eleições europeias à porta, é importante olharmos para este passo que a união europeia deu e refletirmos na influência que tivemos e que gostaríamos de ter daqui para a frente para defender aqueles que são os nossos interesses.

Como me disse hoje o realizador Guilherme Trindade:

“A política é demasiado importante para ser deixada apenas aos políticos.”

Por isso não deixemos que aqueles palhaços fiquem com as questões importantes só para eles. Vamos meter a mão onde não devíamos, vamos parar de votar sempre nos mesmos só porque sim, e passar a votar de maneira a que as nossas ideias sejam representadas em Portugal e na Europa.

Dia 26 de Maio eu vou às urnas. Vemo-nos por lá.

2 comentários em “O Fim Dos Memes Chegou!

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: